segunda-feira, 22 de dezembro de 2008

sábado, 20 de dezembro de 2008

Suspensão de Liminar!

Suspensa, em 18.12.2008 a liminar que impedia a liberação do edital do TRE-Ce visando a realização de seu concurso público. SEJA O QUE DEUS QUISER!

Prof. Walber

quinta-feira, 18 de dezembro de 2008

Servidores sem reajuste!

deu no correio braziliense
Sem reajuste para servidor
De Daniel Pereira:O governo admite a possibilidade de suspender, por tempo indeterminado, os reajustes salariais prometidos aos servidores públicos. Em conversas reservadas, ministros da área econômica dizem que a medida será adotada — apesar de ser impopular e de representar quebra de acordo com os sindicatos — se a redução na arrecadação tributária registrada em novembro perdurar nos próximos meses. E é justamente essa a tendência segundo ministros e parlamentares governistas. Para eles, o Fisco recolherá menos impostos e contribuições devido à esperada desaceleração da economia em 2009.“Em tese, os reajustes estão mantidos caso seja preservada a realidade atual”, diz o líder do governo no Senado, Romero Jucá (PMDB-RR), referindo-se ao crescimento da arrecadação verificado no conjunto dos 11 primeiros meses do ano. “Agora, se houver mudança no comportamento das receitas, os reajustes serão adiados pelo governo”, acrescenta o parlamentar. Neste ano, o presidente Luiz Inácio Lula da Silva editou duas medidas provisórias (MPs) decorrentes de negociações entre o Ministério do Planejamento e representantes do funcionalismo federal.A MP 440 beneficia 91.308 servidores ativos e inativos e custará, segundo o Planejamento, R$ 1,9 bilhão em 2008, R$ 4,7 bilhões em 2009, R$ 6,6 bilhões em 2010 e R$ 7,2 bilhões em 2011. Já a MP 441 reestrutura e dá aumento salarial a 54 carreiras do Executivo, contemplando 380 mil trabalhadores. O impacto previsto é de R$ 1,5 bilhão em 2008, R$ 5,7 bilhões em 2009, R$ 7,4 bilhões em 2010 e R$ 8,9 bilhões em 2011. Os dois textos foram editados em 29 de agosto, antes de a crise internacional atingir a economia brasileira.
Colaboração ex- aluno George Cabral

segunda-feira, 15 de dezembro de 2008

Leiam isto!

Presidente do TJ do Espírito Santo é preso poucas horas antes de receber homenagem
http://www.espacovital.com.br/noticia_ler.php?idnoticia=13739
Ao prender ontem (08) em Vitória o presidente do Tribunal de Justiça do Espírito Santo, desembargador Frederico Guilherme Pimentel, a Polícia Federal desbaratou uma quadrilha que, segundo os investigadores, negociava decisões judiciais. Também foram presos os desembargadores Josenider Varejão Tavares e Elpídio José Duque. Na casa deste último, a PF apreendeu R$ 500 mil em dinheiro. Foi preciso requisitar ao Banco do Brasil uma máquina para a contagem das cédulas (muitas eram de valores menores).Um dia depois do Dia Nacional da Justiça festejado na segunda-feira (08), ontem (09) - quando se comemorava o Dia Internacional contra a Corrupção - o desembargador Pimentel receberia justamente uma medalha por "serviços prestados contra a corrupção", em evento organizado pela Associação do Ministério Público Estadual do Espírito Santo.O filho do presidente do TJ, Frederico Luís Schaider Pimentel, que é juiz na comarca de Cariacica (Grande Vitória), também foi preso. A cunhada dele, Bárbara Pignaton Sarcinelli, diretora do Setor de Registro e Distribuição do TJ-ES, e o advogado Paulo Duque também foram presos temporariamente sob a acusação de envolvimento no esquema. O sétimo mandado de prisão foi cumprido contra outro advogado, Pedro Celso Pereira. A oitava prisão ocorrida ontem em Vitória foi por flagrante de porte de arma de uso privativo das Forças Armadas. O procurador de Justiça Eliezer Siqueira de Souza foi encontrado pelos policiais federais dentro do prédio do tribunal com a arma e nada tem a ver com as demais prisões.Os mandados cumpridos são todos de prisão temporária (cinco dias). Com o uso de uma máquina de contar cédulas - cedida pelo Banco do Brasil - foram contados pouco mais de R$ 500 mil na casa do desembargador Duque.Batizada de Operação Naufrágio, a ação foi coordenada pela Diretoria de Inteligência Policial da PF, em Brasília. A investigação começou logo após a Operação Titanic, que, em abril deste ano, desmontou um esquema de fraudes em importações de veículos que envolvia os crimes de falsidade ideológica, evasão de divisas, sonegação fiscal, tráfico de influência e quadrilha. Na ocasião, a PF prendeu Ivo Júnior Cassol, filho do governador de Rondônia, Ivo Cassol, e o ex-senador e atual suplente no Senado Mário Calixto Filho. Este foi liberado por uma liminar concedida, em 18 de julho, pelo presidente do STF, Gilmar Nunes. No julgamento do mérito do habeas corpus, a 2ª Turma do STF, em 28 de outubro, cassou a liminar e negou a liberdade. Calixto está foragido. Na operação Titanic, foi desbaratado um esquema de importação ilegal de veículos promovido pela Importadora TAG, de propriedade de Pedro e Adriano Scopell, empresários capixabas que abriram a empresa em Rondônia para se beneficiarem de isenções fiscais. O filho do governador e o ex-senador intermediavam benefícios fiscais para a TAG. Segundo a PF, também estavam envolvidos no arranjo auditores da Receita Federal lotados no Espírito Santo e em Rondônia. A partir da Titanic, a PF seguiu o rastro de evidências de tráfico de influência no Tribunal de Justiça capixaba. Por envolver desembargadores, que têm foro privilegiado, o caso foi encaminhado para o STJ, em Brasília, e o inquérito foi distribuído à ministra Laurita Vaz. Ainda ontem os presos foram enviados, via aérea, para Brasília e recolhidos à carceragem da Polícia Federal. No fim da tarde, o vice-presidente do Tribunal, desembargador Álvaro Manuel Rosindo Bourguignon, encontrou-se com o governador do Espírito Santo, Paulo Hartung, no Palácio Anchieta, para tratar do caso. O desembargador afirmou que só haverá sindicância interna se ficar comprovado o envolvimento dos funcionários e do juiz acusados.DefesaO advogado Leonardo Barbieri, que defende o desembargador Elpídio Duque e seu filho, o advogado Paulo Duque, disse que a defesa dos presos apenas teve acesso à decisão da prisão e, por não conhecer a íntegra do inquérito, não pedirá ainda habeas-corpus. "A partir dos depoimentos em Brasília tomaremos as decisões cabíveis", afirmou ele, que negou a participação dos clientes nos crimes citados. Repórteres do jornal A Tarde tentaram contato com o advogado Flávio Chein, que defenderá o desembargador Josenider Varejão Tavares, mas ele não atendeu às ligações. (Com informações do jornal A Tarde e da Agência Brasil).Nota do MPESO site do Ministério Público do Estado do Espírito Santo (MPES) veiculou nota informando que "sempre esteve e continua à disposição do Superior Tribunal de Justiça para colaborar naquilo que for necessário para a pronta elucidação dos fatos, dentro dos limites de sua atuação". Prossegue afirmando que "em relação à detenção de um membro do Ministério Público, aguarda o desenvolvimento do inquérito, que tramita sob sigilo, para que de forma rápida e efetiva possa tomar todas as providências cabíveis".
Colaboração: ex-aluno Emmanuel FerroBacharel em Ciência da Computação

Leiam isto!

sexta-feira, 5 de dezembro de 2008

O Soberano - Blog do Noblat - Maria Helena Rubinato Rodrigues de Sousa
“Nós, representantes do povo brasileiro, reunidos em Assembléia Nacional Constituinte para instituir um Estado Democrático destinado a assegurar o exercício dos direitos sociais e individuais, a liberdade, a segurança, o bem-estar, o desenvolvimento, a igualdade e a justiça como valores superiores de uma sociedade fraterna, pluralista e sem preconceitos, fundada na harmonia social e comprometida, na ordem interna e internacional, com a solução pacífica das controvérsias, promulgamos, sob a proteção de Deus, a seguinte Constituição da República Federativa do Brasil. Título I Dos Princípios Fundamentais Artigo 1º. A República Federativa do Brasil, formada pela união indissolúvel dos Estados e Municípios e do Distrito Federal, constitui-se em Estado Democrático de Direito e tem como fundamentos: I - a soberania; II - a cidadania; III- a dignidade da pessoa humana; IV- os valores sociais do trabalho e da livre iniciativa; V - o pluralismo político. Parágrafo único. Todo poder emana do povo, que o exerce por meio de seus representantes eleitos ou diretamente, nos termos desta Constituição.Essas são, como sabemos, as primeiras palavras da Constituição que nos rege, e que foi assinada em 1988. Nelas podemos ver claramente quem é o soberano deste país: o povo. Nós: eu. tu, ele, nós.Ontem, o atual Presidente da República nos ofendeu, de várias maneiras. Usando, naquele seu tom ora exaltado e furibundo, ora que se pretende irônico, termos escatológicos pouco recomendáveis para uma cerimônia oficial, além de palavras chulas para tentar explicar como devem se comportar, com a sociedade, as autoridades responsáveis pela condução da política econômica do país.Do longo amontoado de hipérboles e comparações esdrúxulas, depreende-se que o Brasil está muito mal. Desta vez a comparação não foi com um jogador que bateu mal o pênalti, ou com um goleiro que entregou o time, desta vez a coisa ficou mais séria: era questão de saúde. Ao se comparar com um médico, o responsável pela condução do Brasil até 2010, deixou escapar que a situação do paciente é preocupante. Se não houvesse necessidade de esconder algo do brasileiro, nem à Sua Excelência ocorreria emitir opinião bastante controversa: que se deve enganar os pacientes.Quando reclamamos do tratamento que ele nos dispensa, aparece logo um fervoroso militante para dizer que devemos respeito à instituição da Presidência da República e a seu ocupante. Evidentemente que sim. Para isso somos, e queremos ser, uma Nação Civilizada. Mas respeito é via de mão dupla. Ele que nos respeite, que nós o respeitaremos.A maior prova que houve um tremendo desrespeito está na censura feita no site do Palácio do Planalto. Dizer que a expressão de baixíssimo calão usada por Sua Excelência estava inaudível é mentira tão cabeluda que até assusta. Se num caso desses, em que as palavras foram muito bem pronunciadas diante de microfones, o som perfeito, nenhuma interferência, querem nos convencer que o que foi dito não foi ouvido, imaginem aquilo que se passa longe dos microfones.Não pensem que me move qualquer moralismo. Sou carioca e com idade para ser avó. Palavrões, já ouvi muitos, e já disse alguns. O mundo, desde meus verdes anos, mudou muito; palavrão, no cinema americano contemporâneo, é vírgula, é quase pausa para respiração dos atores. No cinema europeu quase todo é a mesma coisa. Na televisão brasileira então, nem se fala. Mas um Chefe de Estado, numa solenidade oficial, dentro de um dos templos da Cultura Brasileira como é o Palácio Gustavo Capanema, dizer o que esse senhor disse, isso é inédito até nos países mais liberados do mundo. É o tal do respeito à instituição da Presidência da República. Que tem que ser respeitada em primeiro lugar pelo Ocupante, que deve esse respeito ao Soberano.Nós, como O Soberano que somos, vamos ensinar a ele e a seus adoradores como se faz, atentos, analisando, criticando, mas sempre respeitando. Nós, O Soberano, somos educados e civilizados.

quinta-feira, 4 de dezembro de 2008

EDUCAÇÃO: O FUTURO ESTÁ EM NOSSAS MÃOS


EDUCAÇÃO: O FUTURO ESTÁ EM NOSSAS MÃOS
José Henrique Vilhena – Folha de São Paulo

A posição do Brasil no que se refere ao acesso da juventude
ao nível superior, comparada com a de diversos países (em
especial na América Latina), é no mínimo lamentável. O número
de matriculados corresponde a cerca de 13% da população entre
20 e 24 anos, muito inferior ao da Argentina (39%), Chile (37%),
Bolívia (23%), França (50%), Espanha (46%) ou EUA (80%), país
que caminha rapidamente para a universalização do ensino
superior.
Temos hoje cerca de 2 milhões de alunos matriculados no
ensino superior. Desses, 21% estão nas universidades públicas
federais, 13% nas universidades estaduais, 6% nas universidades
públicas municipais e 60% nas universidades privadas. É verdade
que, ao contrário do que ocorre na grande maioria das
instituições privadas, a pesquisa de alto nível está fortemente
concentrada nas públicas, especialmente nas redes federal e
estadual de São Paulo. Mas isso não pode justificar o pequeno
número de alunos que elas são capazes de absorver. É
fundamental e urgente desenvolver estratégias de aumento das
matrículas, garantindo a qualidade do ensino e da pesquisa.
Todos sabemos que, nos últimos anos, o sistema de
financiamento das universidades públicas tem atravessado uma
sucessão de crises, embora a qualidade geral do ensino tenha
melhorado. Mesmo em momentos de crise, quadros bem
qualificados são capazes de melhorar seu desempenho (fato,
aliás, mundialmente reconhecido).
Essa melhoria, porém, não é suficiente para equacionar os
difíceis problemas da nossa sociedade – sobretudo os da
juventude, que precisa de excelente formação para disputar
postos de trabalho em condições vantajosas e garantir o
crescimento econômico e sociocultural do país. Assim, nós, que
temos pleno conhecimento da dramática situação de 87% da
juventude brasileira, sem acesso aos benefícios da ciência, da
tecnologia e da cultura, impedida de participar da construção e
das decisões da sociedade, estamos obrigados a buscar soluções
urgentes. Do contrário, que futuro se pode esperar para uma tal
sociedade? Não podemos nos comportar como a elite brasileira
do século 19, que, na forma de escravidão, embora sabedora de
seus malefícios, convivia com ela de forma hipócrita e desleal
para com o país e seu povo.[...]

quarta-feira, 26 de novembro de 2008

NO AGUARDO!

ESTAMOS AGUARDANDO AS NOVIDADES SOBRE O CONCURSO DO TRE-CE.

Prof. Walber

sexta-feira, 21 de novembro de 2008

Justiça suspende edital do TRE

Justiça suspende edital do TRE



Ministério Público Federal questiona a legalidade do contrato entre o TRE/CE e a Funece, por meio do Iepro

O edital do concurso do Tribunal Regional Eleitoral do Estado do Ceará (TRE/CE), para seleção de novos servidores e formação de cadastro reserva, teve seu lançamento, previsto para ontem, suspenso por 72 horas. A Justiça Federal acatou pedido de liminar apresentado pelos procuradores da República Francisco de Araújo Macêdo Filho, Alessander Sales e Alexandre Meireles, por meio de uma ação civil pública.

Na ação, o Ministério Público Federal (MPF) questiona a legalidade do contrato entre o TRE/CE e a Fundação Universidade Estadual do Ceará (Funece), por meio do Instituto de Estudos, Pesquisas e Projetos da Uece (Iepro), firmado sem licitação. A capacidade técnica do Iepro para realizar a seleção pública também é discutida.

A liminar faz, inclusive, referências a outros concursos conduzidos pelo Iepro. “A escolha da Funece/Iepro para a realização do certame, por parte do Pleno do TRE/CE, causou grande surpresa para os servidores da Justiça Eleitoral, bem como para os futuros candidatos do concurso, pelo fato de a referida entidade ter realizado poucas atividades nessa área, como é o caso dos concursos públicos para a Guarda Municipal de Fortaleza e para a Prefeitura Municipal de Tauá, onde constatou-se falta de organização e até anulação de provas, como no caso do concurso para a Prefeitura Municipal de Pacajus”.

O presidente do Iepro, João Alves Melo, declarou que a Funece tem plenas condições de realizar este concurso, diante da sua experiência na elaboração de vários vestibulares e outras seleções. “Por trás de tudo isso, tem uma coisa que termina repercutindo negativamente para o Estado. O nosso desenvolvimento nunca ocorrerá plenamente enquanto não começarem a acreditar na capacidade das instituições regionais para a realização de tarefas desse patamar”, disse.

Ele disse, ainda, que há a influência da Fundação Carlos Chagas (FCC), que também estava na disputa para elaborar a prova. “Fora isso, acredito que também tenha um outro agravante, o interesse dos donos dos cursinhos preparatórios para concursos. A prova sendo realizada por nós, mudaria todo um esquema, ela seria nova, e os alunos foram preparados para as provas formuladas pela FCC”, declarou.

Em relação ao cancelamento do concurso de Pacajus, ressaltou, em nota, que “em 14, 21 e 28 de outubro do ano passado, o Iepro realizou, às suas expensas, novo concurso, com um nível de organização impecável e bastante elogiado pelos meios de comunicação e por todos os participantes que foram instados a se pronunciarem”.

Manifestação

O Diário do Nordeste, em matéria veiculada na última terça-feira, dia 18, mostrou a reivindicação do servidores do TRE. Por meio do Sindicato dos Servidores da Justiça Eleitoral do Ceará (Sinje-CE), eles questionam a experiência da empresa, além da reputação ético-profissional. Duzentos e três servidores assinaram um abaixo-assinado, solicitando que o Pleno do TRE reconsiderasse a seleção da empresa, e protocolizaram representação junto ao MPE com o mesmo objetivo.

O Pleno do TRE-CE decidiu pela Funece, com interveniência da Iepro, no último dia três. Embora a comissão da Coordenadoria de Licitações do TRE ter decidido, por unanimidade, “pela inviabilidade da proposta apresenta pelo Iepro/Uece, tendo em vista a não comprovação de notória experiência na realização de concursos para o Poder Judiciário, bem como pela impossibilidade de contratação por valor fixo, e não pelo número de inscritos”.

“Se as duas empresas apresentaram a mesma proposta e a Fundação Carlos Chagas já realizou concursos de âmbito nacional, para órgãos de grande abrangência, por que preferiram a Iepro? O concurso que a Iepro realizou em Pacajus foi cancelado. Tem que considerar o requisito que a empresa contratada detenha inquestionável reputação ético-profissional”, critica a presidente do Sinje.

Nas próximas 72 horas, o Ministério Público irá ouvir a Advocacia Geral da União e analisar se a Iepro tem condições de elaborar o concurso.

FONTE: DIARIO DO NORDESTE - DIA 21.11.2008.

quarta-feira, 19 de novembro de 2008

Concurso do TRE - CE.

Tribunal Regional Eleitoral O presidente da comissão do concurso do Tribunal Regional Eleitoral do Ceará (TRE-CE), Jarbas Marinho, informou que o edital deverá ser divulgado em breve, com previsão de que as inscrições estejam abertas em dezembro. Já as provas, deverão ser aplicadas no mês de março. Inicialmente, a seleção destina-se ao preenchimento de 21 vagas, sendo 13 para técnico judiciário (médio) e 8 para analista judiciário (superior). Além disso, também será formado cadastro de reserva, a ser aproveitado durante a validade do concurso, ainda a ser definido. As remunerações serão de R$4.512,28 (médio) e R$7.070,72 (superior), ambas com o valor de R$519,20 já incluído, referente ao auxílio-alimentação. Além disso, órgão também proporcionará aos novos servidores assistência escolar no valor de R$382,80 (crianças de até sete anos), auxílio-transporte, que varia de acordo com o percurso e com o salário) e assistência médica. Para o cargo de analista, haverá oportunidades para as àreas de Contabilidade, Arquitetura, Medicina, Estatística e Engenharia Elétrica e Civil. Já as vagas para técnico estão destinadas às áreas Administrativa, Contabilidade, Programação de Sistemas e Operação de Computadores. Caso o concurso seja baseado no anterior, realizado em 2002, todos os candidatos serão submetidos a provas objetivas. Dependendo do cargo pretendido, haverá questões de Língua Portuguesa, Noções de Microinformática, Conhecimentos Específicos e Noções de Direito.
Agradecimento George Cabral!

terça-feira, 18 de novembro de 2008

Justiça contra o preconceito!

Juízes de visão
STF garante concurso sem adaptação para cego no Maranhão
Sem a adaptação para cegos, requerida pela OAB, aconteceu neste domingo (16/11) o concurso para juiz de entrância inicial no Maranhão. Cerca de 1.400 candidatos prestaram o exame, que foi feito graças à decisão do presidente do Supremo Tribunal Federal, ministro Gilmar Mendes, de suspender liminar que cancelava o concurso.
O ministro levou em conta a proximidade da data, pois no dia do julgamento faltavam cinco dias para a prova. E também, o “grave prejuízo” que a suspensão do concurso poderia causar ao estado, que precisa preencher 31 vagas de juízes.
O Tribunal de Justiça maranhense havia suspendido o concurso por entender que o item 6.1.2 do edital do concurso, que não admitia “pedidos de provas em “braile”, “ampliada”, “leitura de prova”, utilização de “ledor” ou outros softwares”, era uma afronta ao princípio e garantia de isonomia, acesso ao trabalho e dignidade da pessoa humana. A ação foi aberta pela seccional maranhense da OAB.
No entendimento do desembargador do TJ-MA Antonio Fernando Bayma Araújo, a restrição é uma atitude preconceituosa, discriminatória e segregacionista, podendo gerar prejuízos de ordem moral e material. Por essa razão, suspendeu as provas até que fossem garantidos os equipamentos aos candidatos cegos.
O estado do Maranhão entrou com pedido de suspensão de segurança com o argumento de que a visão é indispensável para o exercício do cargo de juiz, o que justifica a restrição imposto no edital. Mencionou ainda que o estado está carente de juízes e que o cancelamento poderia causar prejuízos aos candidatos.
Em seu voto, Gilmar Mendes citou o artigo 4º da Lei 4.348/64 que autoriza a suspensão de segurança nas ações movidas contra o Poder Público, a fim de evitar “grave lesão à ordem, à saúde, à segurança e à economia públicas”. Para ele, este é um “caso de risco de grave lesão à ordem pública, sob o aspecto da organização administrativa”.
Gilmar apontou que recentemente o Conselho Nacional de Justiça aprovou um Enunciado Administrativo que reserva de 5% a 20 % de vagas para deficientes. Mas acrescentou: “Descabe no presente momento, porém, adentrar o mérito da discussão sobre o direito líquido e certo que eventualmente assistiria ao candidato cego, ou com deficiência visual grave, de ter à sua disposição os equipamentos necessários para realização das provas, merecendo análise mais aprofundada, principalmente, a alegada incompatibilidade absoluta entre tais deficiências e o exercício do cargo de magistrado”.
Clique aqui para ler a decisão que garantiu que o concurso fosse feito
SS 3.692
Revista Consultor Jurídico, 17 de novembro de 2008

segunda-feira, 17 de novembro de 2008

Complemento!

A informação abaixo foi nos dada pelo site www.claudiohumberto.com.br

domingo, 16 de novembro de 2008

Brincadeira!!!!!!!!!!!!!!!!!

15/11/2008 00:00
Cid põe torneiras de ouro em seu Palácio
Água é recurso caro aos cearenses, mas o governador Cid Gomes (PSB) passou dos limites: o custo total da reforma do Palácio Abolição, sede do governo do Ceará, já é um absurdo, R$ 37 milhões, mas salta aos olhos as 18 torneiras banhadas a ouro que serão instaladas nos banheiros do novo escritório do governador, que se celebrizou por ter bancado um circuito europeu para a sogra. As torneiras estão orçadas em R$ 45 mil.

sexta-feira, 14 de novembro de 2008

EU RECOMENDO!

Excelente material para o concursando!

Guia dos Concursos

Onde adquirir:

Ceará

Centro Educacional MasterAv. Bezerra de Menezes, 1802 - São Gerardo - FortalezaTel.: (83) 3261 1551 / 3268 1112Livraria Livro TécnicoRua Dom Joaquim 54 - Aldeota - FortalezaTel.: (83) 433 9494www.livrotecnico.com

Livraria Public (M & G)
Rua Barão do Rio Branco 1620 – Centro - Fortaleza
Tel.: (85) 3226 3937 / 3231 6298
www.livrariapublic.com.br
Livraria Apoio
Rua Bárbara de Alencar 992 C – Centro – Crato
Tel.: (88) 3521 2927

quinta-feira, 13 de novembro de 2008

SABEDORIA!

- Mestre, como faço para me tornar um sábio?
- Boas escolhas.
- Mas como fazer boas escolhas?
- Experiência - diz o mestre.
- E como adquirir experiência, mestre?
- Más escolhas..

(Colaboração do nosso ex-aluno Emmanuel Ferro - Bacharel em Ciência da Computação.)

segunda-feira, 10 de novembro de 2008

ESTÁ CONFIRMADO!

ATENÇÃO!

04/11/2008 CONCURSO TRE
Pleno do TRE decidiu, na sessão de ontem, pela contratação da Fundação Universidade Estadual do Ceará
CONCURSO TRE
O Pleno do TRE decidiu, na sessão de ontem, pela contratação da Fundação Universidade Estadual do Ceará - FUNECE, com a interveniência do Instituto de Estudos, Pesquisas e Projetos da UECE – IEPRO, para a realização do concurso público para provimento de cargos efetivos e formação de cadastro reserva.Havia uma preocupação, por parte dos servidores, a respeito dessa escolha, pois estavam na disputa, além da escolhida a Fundação Carlos Chagas e a CESPE/UNB, sentimento que foi manifestado através de requerimento do Sindicato ressaltando, dentre outros aspectos, a larga experiência da FCC e da CESPE/UNB em concursos de âmbito nacional.Apesar do trabalho realizado, corpo-a-corpo com cada Membro e o Ministério Público, a matéria foi aprovada por unanimidade.

GEORGE CABRAL gecabral_ce@hotmail.com

domingo, 9 de novembro de 2008


Tudo por uma vaga

Mariana Flores Da Equipe do Correio
Responsável por movimentar cerca de R$ 5 bilhões por ano, a indústria dos concursos públicos ganha cada vez mais adeptos. No volume entra desde a arrecadação das bancas examinadoras até os gastos dos estudantes com livros e apostilas, de acordo com cálculo feito pela Associação Nacional de Proteção e Apoio aos Concursos (Anpac). Os cursinhos preparatórios, com mensalidades médias de R$ 350, têm boa participação na quantia faturada. Mas as opções estão aumentando. De olho em um mercado que atende a 8 milhões de pessoas em todo o país, empresários inovam para tentar abocanhar parte da fatia movimentada pelos concurseiros. No Distrito Federal, onde, estima-se, existem pelo menos 200 mil pessoas estudando para concursos, o leque vai de técnicas de memorização e caligrafia a ioga para os olhos.
Dezenas de brasilienses, a maioria concurseiros, aprenderam ontem a fazer ginástica cerebral e ioga para os olhos. A técnica foi ensinada pelo professor paulista Carlos Maurício Prado, que duas vezes por ano vem ao Distrito Federal ministrar o curso. A maioria dos alunos, conta, quer evitar ter os temidos “brancos” na hora da prova. “Uma massagem específica que aumenta o fluxo de sangue traz a energia para a parte superior do cérebro e evita dar branco na hora da prova. Em Brasília essa é a técnica mais requisitada, em função da demanda elevada por concursos públicos. Em cada capital os alunos têm uma expectativa diferente, em Brasília a procura é maior por pessoas que vão fazer concursos”, conta. Cada aluno pagou R$ 20 de taxa de inscrição e R$ 30 pela aquisição do livro que detalha as técnicas.
Para ajudar a evitar o esquecimento, uma outra forma explorada é a de memorização. O número de alunos interessados em aprender as técnicas só cresce, segundo o professor da ciência da mnemotécnica, Expedito Rocha de Oliveira. Nos últimos 18 anos 8 mil pessoas já passaram por suas aulas. Mais da metade focadas nos concursos. O custo é de R$ 160 por quatro aulas, que ensinam a guardar os principais tópicos da Constituição Federal, das leis 8.112 e 8.666 e da gramática. “É mais difícil memorizar as leis do que o dicionário”, afirma o professor, famoso na cidade por ter decorado o dicionário Aurélio.
Com a concorrência acirrada nas seleções, os candidatos a uma vaga no serviço público têm que estar cada vez mais preparados. Na redação, por exemplo, além da preocupação com a qualidade das informações e do texto, e com a ortografia, devem ficar atentos para a grafia das palavras. De olho no potencial mercado, o empresário Evandro Ayres resolveu investir em um curso de caligrafia e inaugurou o Curso de Caligrafia ABZ. Todo mês o volume de alunos varia de 50 a 100 pessoas, dependendo da quantidade de concursos com editais abertos. Para aprender a escrever esteticamente melhor, eles pagam R$ 300 pelo curso, que tem duração de seis aulas de três horas.

Publicado às 16:22
George Cabral

Tenho muito orgulho de ter sido militar. Aliás, não escondo isto de ninguém. Fui muito bem capacitado enquanto lá estive e devo muito as Forças Armadas. Sei que o Exército Brasileiro não foi um fim , mas um meio para que eu pudesse cumprir a minha verdadeira missão nesta vida. Aprendi que a verdadeira guerra é aqui fora. A guerra pela sobrevivência.

Obrigado EB!

Walber

FALOU E DISSE!

FALOU E DISSE!
Imagem de professor
Há algum tempo venho me digladiando com um inimigo que não é facilmente identificável. Cheguei a pensar que encarnava dom Quixote, fazendo carga contra moinhos de vento, como quem deseja vencer um dragão; e nem tinha um Sancho Pança para me fazer companhia.
Mas minha batalha não é quixotesca. O dragão existe... e é cruel. Só que não anda por aí devorando donzelas nem enfrentando príncipes encantados. Esse dragão é meio indefinido na sua caracterização, mas muito eficiente em sua ação... nociva ação. Não é transgênico nem mutante, mas manifesta-se de varias formas.
Estou me referindo ao dragão que há algum tempo vem matando a imagem do professor. Como isso se manifesta?
Respondo: nas políticas de desincentivo à carreira de professor; em políticas salariais que retiram não o poder de compra – que isso os trabalhadores já perderam, faz tempo – mas a possibilidade de aquisição de ingrediente inovadores como livros e cursos de atualização; em legislação que retira (pelo menos na interpretação feita por muitos) a autoridade do professor, dando superpoderes a outros; na agressão física, verbal e institucional que muitos colegas têm sofrido; na desvalorização generalizada desse personagem, sem o qual nenhum imbecil, tirano ou santo conseguiria chegar aos postos de comando: no mundo dos negócios, na política, na sociedade...
O fato é que me sentia sozinho nessa cruzada. Então comecei a ler com mais atenção as manifestações que ocorrem aqui e ali. Foi assim que há alguns dias meus olhos viram uma chamada em um artigo de opinião, assinado pelo sociólogo Marcelo Coelho, na revista Carta na Escola. Só o título já era desafiador: "O status do professor em colapso". E do ladinho a chamada: "Se autoritarismo e educação não combinam, não vejo como haver educação sem um mínimo de respeito à autoridade"
Para ilustrar sua opinião o sociólogo faz alguns comentários contra o autoritarismo, mas a favor da preservação da autoridade do professor e de sua pessoa, constantemente ameaçados. Diz que "não faltam exemplos – quem trabalha na rede pública ou na particular sabe melhor do que eu – de professores espancados e ameaçados de morte pelos alunos, quando não intimidados pelos pais de alunos ou pelos traficantes que dominam o local". Isso que ele fala é uma constante em ascensão não só nos grandes centros mas também aqui ao nosso redor. Se você é professor sabe do que estou falando; se não é, veja os noticiários ou procure ouvir o que professores andam falando e como andam falando de seus medos... A evidencia essa tendência de desrespeito que gera o medo oriundo de um histórico de agressões, manifesta-se de duas formas: no crescente abandono da profissão, por parte de profissionais já formados; e na diminuição da procura por cursos de licenciatura, por parte dos candidatos nos vestibulares.
É evidente que em nossa profissão, como em qualquer outra, existem profissionais medíocres. Entre os médicos quantos são os exemplos de falta de profissionalismo ou de ação mercenária. Tanto que se fez necessário uma legislação impedindo a omissão de assistência por falta de pagamento; entre os advogados os exemplos de ação de profissional mau caráter também podem ser enumerados; entre dentistas, entre os contabilistas, entre os políticos, então, os noticiários não dão descanso... por isso não vou dizer que não convivamos com péssimos exemplos de professores. Mas isso não significa que todos os professores são mercenários; da mesma forma que, por eu ter recebido péssimo atendimento de algum médico ou enganado por um advogado, posso sair por ai dizendo que todos são larápios.
O que nos falta, então? A nós professores falta nos deixarem trabalhar.
E se quisermos continuar fazendo comparações, podemos dizer que a pedra preciosa que são os estudantes já é preciosa ao sair de casa. Em nossas mãos deverá receber aquele polimento que a ajudará brilhar. Mas esse brilho já lhe é implícito pela educação trazida do lar. De onde vem esse brilho que nós podemos evidenciar? De algo que vem de casa: dos valores éticos e posturas morais, da educação aprendida no lar, do respeito a si e ao outro, dos limites e concessões estabelecidos pela família, da seriedade com que pais e mães tratam seus filhos. Não podemos transformar um pedregulho num diamante, mas podemos transformar um diamante numa jóia preciosa com valor incalculável. Nós só agregamos valores ao valor que nos é entregue.
Sendo assim, para resgatarmos a autoridade do professor, com a qual ele poderá melhor desempenhar sua função é fazer com que cada instituição cumpra o seu papel para que todos construamos uma sociedade mais habitável. Escola não é casa de correção, mas espaço de ensino. Se os responsáveis pelos delinqüentes fizessem seu trabalho de coibição e correção sobraria espaço, nas escolas e na ação do professor, para desenvolver melhor seu trabalho; se as famílias estabelecerem os limites do que pode e não pode em relação ao outro, o professor poderá exercer melhor seu papel de lapidador de jóias raras. Mas não é o que ocorre. Pelo fato de outras instituições não fazerem aquilo para o que existem, acabam jogando todas as responsabilidades para a escola. E quem leva a chicotada é o professor.
O dragão está solto. Mas não estou só, contra ele. Não sou um novo dom Quixote, nem um vingador solitário. Eu e meus colegas somos professores querendo fazer aquilo que sabemos melhor do que ninguém: ajudar nossos alunos a aprender.
Neri de Paula Carneiro – Mestre em Educação
Filósofo, Teólogo, Historiador
© 2006-2008 Webartigos.com - Seu portal de leitura e publicação de artigos. Dúvidas: webartigos@gmail.com
Aviso aos alunos:

a) Comecarei uma turma para o concurso do Ministério do Trabalho e Emprego - MTE no próximo sábado pela manhã. Local: Tiradentes da Barão de Studart.

b) Comecarei uma nova turma para tribunais na próxima quinta feira à noite: Local: Master da Aldeota.

sábado, 8 de novembro de 2008

Seção Disse Tudo (Primeira Parte!)

Frase Abraham Lincoln: "Quase todos podemos suportar a adversidade, mas se quereis provar o caráter de um homem, dai-lhe poder." [ Abraham Lincoln ]

Frase Abraham Lincoln: Não sei o que foi meu avô. Estou muito mais interessado em saber o que será meu neto.

Frase Abraham Lincoln: Quando faço o bem, sinto-me bem, e quando faço o mal, sinto-me mal. Eis a minha religião.

Frase Abraham Lincoln: Se quiser por à prova o caráter de um homem, dê-lhe poder.

Frase Abraham Lincoln: Se eu tivesse oito horas para derrubar uma árvore, passaria seis afiando meu machado.

Frase Abraham Lincoln: Quase sempre a maior ou menor felicidade depende do grau de decisão de ser feliz.

Frase Abraham Lincoln: Os que negam liberdade aos outros não merecem liberdade.

Frase Abraham Lincoln: É melhor calar-se e deixar que as pessoas pensem que você é tolo, do que falar e acabar com a dúvida.

Frase Abraham Lincoln: Nunca conseguirás convencer um rato de que um gato traz boa sorte.

Frase Abraham Lincoln: O homem que trabalha somente pelo que recebe, não merece ser pago pelo que faz.

Frase Abraham Lincoln: Pode-se enganar a todos por algum tempo; pode-se enganar alguns por todo o tempo; mas não se pode enganar a todos por todo tempo.

sexta-feira, 7 de novembro de 2008

Linda mensagem!

' Não me ame pela beleza; pois um dia ela se acaba.
Não me ame por admiração, pois um dia você se decepciona.
Ame apenas....
Pois o tempo nunca pode acabar um Amor sem explicação!'

(Madre Tereza de Calcutá.)